Veja video da Enfermeira que não vacinou idosa

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) abriu Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD), nesta segunda-feira (5), para investigar a imprudência de uma enfermeira, durante aplicação da vacina contra a covid-19 em Cuiabá.

A denúncia foi feita pela filha da idosa Antonieta Teixeira Viana, de 83 anos. O erro foi percebido por Irani Viana ao assistir a filmagem, feita por ela mesma, da suposta vacinação da mãe.

Na gravação, que ocorreu no dia 1º de abril, a enfermeira aplica a vacina no braço da idosa. No entanto, ela não teria afixado de forma correta a agulha na seringa de vacinação, e em seguida, o imunizante vaza pelo braço da receptora.

Depois, ao tentar retirar a agulha, a mesma se solta, ficando presa no braço de Antonieta. Por fim, de forma negligente, a profissional colou um adesivo no local da aplicação, limpou o braço da senhora e a liberou.

A mulher registrou boletim de ocorrência o mesmo dia e encaminhou cópia do documento e da filmagem à imprensa.

Depois, ao tentar retirar a agulha, a mesma se solta, ficando presa no braço de Antonieta. Por fim, de forma negligente, a profissional colou um adesivo no local da aplicação, limpou o braço da senhora e a liberou.

A mulher registrou boletim de ocorrência o mesmo dia e encaminhou cópia do documento e da filmagem à imprensa.

 

Segundo contou Irani ao , a secretaria de saúde, Ozenira Félix ligou para ela após a denúncia, e a situação foi resolvida.
Conforme a chefe da pasta, será preciso esperar 30 dias para fazer um exame de imunidade na idosa. Caso não conste o imunizante no exame, a senhora terá que refazer a vacina.

“Ela pessoalmente me ligou e a secretaria vai me mandar o formulário para fazer o exame. Eu denunciei porque não tinha ninguém na fila, e a menina [enfermeira] não prestou atenção. Ela não rosqueou a seringa na agulha, além de vazar uma parte da vacina, ainda fica a seringa no braço”, explicou.

Ao tomar conhecimento do ocorrido, o presidente do Coren-MT, Antônio César Ribeiro, comunicou o caso ao Departamento de Gestão do Exercício Profissional para que tome todas as providências de acordo com as normas da profissão.

Ele aponta ainda imperícia, negligência e imprudência por parte da profissional que foi filmada durante a aplicação. O erro é previsto no Código de Ética da profissão.

“Determinamos fiscalização imediata no local e procedemos com pedido de afastamento da profissional até que tudo seja apurado. Aconselhamos aos familiares de dona Antonieta que entrem em contato com a Secretária Municipal de Saúde formalizando a denúncia para que a vacinação seja feita de forma correta, considerando que visivelmente o conteúdo foi derramado pelo seu braço. A vacinação é direito desta senhora e de todo cidadão”, disse Antônio César Ribeiro.

 

Veja o vídeo

1 Shares:
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like