Médico é preso por chamar mulher de “macaca, gorda e preta

Um médico de 47 anos foi preso em flagrante por atitude racista contra uma funcionária de um hotel, na cidade de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá).

Segundo as informações, ele chamou a mulher de “macaca”, “vagabunda”, “gorda” e “preta”.

O crimes de racismo, segundo a Polícia Militar, aconteceu na noite de terça-feira (13), dentro do hotel, no bairro Jardim Esmeralda.

A funcionária do hotel acionou a Polícia Militar, que prendeu o médico, que estava embriagado.

Testemunhas disseram à Polícia que o médico estava no hotel há cerca de um mês e, durante esse período, teria causado transtornos por causa do excesso de bebidas alcoólicas.

Ele também é acusado de quebrar algumas garrafas de cerveja, de invadir o quarto de outro hóspede e de resistir à prisão.

Além do crime de racismo, o médico também pode responder por crime de assédio sexual.

Uma outra funcionária relatou que ele teria oferecido dinheiro para “se deitar com ele”. A mulher disse que negou o pedido.

Ao ser abordado pela Polícia, o acusado começou a ofender os militares e ameaçá-los, dizendo que sua esposa é juíza.

Diante dos fatos, ele foi detido e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado em crimes de perturbação do sossego, desacato, ameaça de morte, assédio sexual e injúria racial.

21 Shares:
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like