Policia Federal faz mega operação contra quadrilha especializada e trafico de drogas e armas de grosso em calibre em MT

Um dos alvos da Operação Balada da Polícia Federal nesta terça-feira (5), mecânico de Cuiabá foi preso em maio deste ano pela Polícia Civil em posse de um tablete de maconha, no bairro Alvorada, perto da oficina em que trabalha.

Polícia Federal confirmou 6 prisões em Cuiabá decorrente da investigação que apura a conduta de uma quadrilha especializada em tráfico de drogas e armas de grosso calibre. Entre eles está o dono de uma mecânica de 37 anos.

Em maio deste ano, a Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam) flagrou o homem em atitude suspeita perto da praça do bairro. Na abordagem, ele ficou nervoso e na revista, na cintura, foi encontrado um tablete de maconha.

Na carteira dele, os policiais encontraram R$ 820 e um celular. Questionado, afirmou que trabalhava na mecânica, que foi alvo de buscas. Nada de ilícito foi achado pelo local.

Mas, o mecânico acabou preso em flagrante e foi necessário o uso de algemas. Conforme a assessoria, na operação carros, joias e outros valores foram apreendidos. Um dos endereços em que a polícia esteve fica no Goiabeiras, um prédio de classe médica.

Operação Balada

De acordo com as informações da assessoria da PF, são 247 mandados de prisão e 249 mandados de busca e apreensão, além de centenas de cautelares, como bloqueio de bens e sequestro de bens. Além de Mato Grosso e Minas Gerais, os alvos são do Rio de Janeiro, Goiás, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Alagoas, Pará, Espírito Santo e Tocantins.

Sabe-se até o momento que a droga traficada pela quadrilha era remetida de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia. Depois, seguia armazenada no Triângulo Mineiro para em seguida serem distribuídas as regiões do país, em especial, Minas, Goiás, Espírito Santo e Rio.

Batizada de Balada, a operação aponta que os investigados ostentavam nas redes sociais a organização de festas de luxo, inclusive em outros países, gastando muito dinheiro com os eventos, além de iates e carros esportivos.

Organização

Com estruturado esquema de tráfico, o grupo preparava a droga para ser comercialização com uso de insumos químicos adquiridos em empresas cadastradas. Em 7 meses, foram comprados no mercado regular produtos capazes de manipular 11 toneladas de cocaína.

Além da droga, o grupo atuava ainda no tráfico ilegal de armas de fogo de grosso calibre. Durante a investigação, foram apreendidos 8 fuzis e 14 pistolas. As armas eram adquiridas em Mato Grosso do Sul e seguia para Uberlândia e regiões do Triângulo Mineiro.

 

Elas eram destinadas aos grupos criminosos da região, que atuam no tráfico, roubo de bancos, além de serem entregues aos membros do Comando Vermelho no Rio de Janeiro. Para transportar as armas, os criminosos usavam carros preparados com até com batedores durante os trajetos.

Polícia Federal

Operação Balada Polícia Federal

Lavagem de dinheiro

Conforme a PF, a organização dissimulava a origem do patrimônio acumulado. Por isso, usava um sofisticado esquema de lavagem de dinheiro, utilizando uma empresa de fachada, além da compra de postos de combustíveis, hotéis, fazendas, imóveis, veículos e embarcações de luxo.

 

A movimentação do grupo foi superior a R$ 2 bilhões nos últimos dois anos. As contas bancárias dos investigados, além dos bens, foram bloqueadas pela Justiça. (Com assessoria de imprensa)

1 Shares:
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like