O Governador do Rio Grande do Sul diz que o Presidente Bolsonaro é “nocivo”

Em luta interna no PSDB para ser o candidato presidenciável do partido em 2022, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, defendeu, em coletiva de imprensa na capital mato-grossense neste sábado (11), a terceira via na polarização acirrada entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. Ele ainda destacou que a população já está cansada do atual projeto político.

Leite apontou que, em 2018, se viu praticamente sem opção, uma vez que seu candidato, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) foi derrotado no primeiro turno. Sem concordar os governos anteriores, Leite fez a aposta em Bolsonaro quando a legenda entendeu que o projeto econômico de Bolsonaro se assemelharia ao do partido. Ele disse que, entretanto, se arrependeu.

Foi uma decisão difícil para mim, assim como foi para a maior parte dos brasileiros, eu tenho certeza. Eu entendo que muitas pessoas votaram no Haddad não concordando com a corrupção do PT e muitas pessoas votaram no Bolsonaro sem concordar com as coisas que ele falava. Eu fui uma dessas pessoas”, disse o governador.

“Entendo que foi um erro porque, dentro do quadro da pandemia, Bolsonaro se mostrou extremamente nocivo, com uma forma de atuação que gerou confusão, enfrentamentos que não ajudaram em nada. O que temos para o futuro? Tirar o Brasil dessa polarização. Não podemos aceitar que fiquemos entre o Brasil que somos, que não está bem, e o Brasil que fomos, que também foi bom”, acrescentou.

Leite afirmou que a população também já estaria cansada do desgoverno do presidente Jair Bolsonaro, e disse não ser razoável mantê-lo no governo, diante da alta na inflação, instabilidade nas relações com outros Poderes e redução nas projeções de crescimento econômico do país.

O governador ainda citou a instabilidade nas atitudes de Bolsonaro, e ponderou a tensão dos brasileiros em aguardar até quando vai durar o “recuo” nas ações do chefe de Estado.

Eduardo Leite destacou que é nesse viés que o PSDB pretende apresentar a chamada “terceira via”, uma opção para quem não concorda com a polarização que vem se acirrando desde as eleições de 2018, e reforçou que é um dos pretensos candidatos à disputa. Ele ainda reafirmou a bandeira de ser contrário à reeleição presidencial e considerou que seu mandato seria “transitório” para uma mudança efetiva no país.

Prévias nacionais

Eduardo Leite está em Cuiabá para agenda com os filiados do PSDB, aos quais apresenta suas ideias e tenta angariar votos favoráveis na prévia nacional que escolherá, entre ele e o governador de São Paulo, João Dória, quem será o candidato tucano à Presidência em 202.

A prévia vai funcionar por meio de votos ponderados, sendo quatro grupos votantes, representando 25% dos votos cada. O primeiro grupo envolve filiados sem cargo eletivo; o segundo prefeitos e vice-prefeitos; o terceiro vereadores e deputados estaduais e distritais; já o quarto é composto por governadores, vice-governadores, ex-presidentes, deputados federais, senadores e o presidente da Comissão Executiva Nacional.

0 Shares:
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like