O ato de filiação do deputado federal Victório Galli ao PSL, partido que acolheu Bolsonaro para viabilizar a pré-candidatura a presidente, está marcado para 5 de abril. O evento deve contar com a presença do próprio presidenciável que, segundo os correligionários, está 90% confirmada. Galli enfrentou resistência para aderir ao PSL, sigla que vai presidir em MT, mas figuras como o vereador Wilson Kero Kero e o major Cícero, que atacaram o parlamentar publicamente, foram enquadrados e sequer estão na nova direção partidária que será presidida por Galli com o youtuber Nelson Barbudo como vice. O convite para Galli aderir ao PSL foi feito por Bolsonaro, que o quer coordenando a campanha eleitoral no Estado. Representante do segmento evangélico, ele costuma fazer coro com o virtual candidato a presidente nas pautas conservadoras que defende no Congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *