O ex-governador Silval Barbosa presta depoimento este momento na Delegacia Fazendária (Defaz). Ele chegou sem a presença dos advogados e não falou com a imprensa. Silval presta esclarecimentos referente ao pagamento de propina em torno de R$ 500 a R$700 mil ao mês, durante os anos de 2011 a 2014 para a empresa Consigum.

A terceira fase da operação Sodoma é consequência da Sodoma 2, realizada no dia 11 de março para apurar a suspeita de pagamentos de propina em contratos celebrados com o governo do Estado na gestão de 2010 a 2014.

O empresário Willlians Paulo Mischur contribuiu para que as investigações chegassem em outra modalidade de corrupção dentro da gestão do ex-governador Silval Barbosa. O empresário foi preso na operação ‘Sodoma 2’, juntamente com o ex-secretário de Administração Cezar Zílio e o arquiteto do José da Costa Marques.

Além de Silval, as ordens de prisão nesta nova etapa foram para o ex-secretário de Administração Pedro Elias e ao ex-chefe de gabinete, Silvio Correa, que já havia sido preso na operação ‘Sodoma 1’.

Também foi cumprido mando de busca e apreensão de documentos na casa de Pedro Elias.

fonte ; gazeta digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *