Diante do ‘clima’ de polêmica política, que envolve denúncias contra a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governador Pedro Taques (PSDB), que é um dos grandes defensores do impeachment, não descarta participar do ato de manifestação nacional, que será realizado neste domingo (13), contra a corrupção e denúncias que afetam a atual gestão do governo federal. Questionado pela imprensa, na tarde desta quinta-feira (10), o tucano não negou que possa participar, mas pontuou que ainda não se decidiu a respeito.

“Eu não decidi ainda se irei à manifestação, mas este é um direito constitucional. Ontem à noite estava conversando com minha filha de 18 anos dizendo: vá à manifestação, você precisa se manifestar”, comentou o governador.

O governador, no entanto afirmou que orientou a filha de 18 anos a ir. Taques também garantiu que conversou com as forças da Segurança Pública, para que seja garantido um ambiente propício ao direito constitucional à manifestação.

“Eu não decidi ainda se irei à manifestação, mas este é um direito constitucional. Ontem à noite estava conversando com minha filha de 18 anos dizendo: vá à manifestação, você precisa se manifestar”, comentou o governador, no final da assinatura de parceria entre o Governo do Estado e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), que vai fazer um diagnóstico – “Avalia MT” – da Educação no Estado.

“Determinei ao secretário de Segurança e ele já emitiu nota à imprensa para garantir o direito constitucional à manifestação, que tem que ser preservado”

“Determinei ao secretário de Segurança e ele já emitiu nota à imprensa para garantir o direito constitucional à manifestação, que tem que ser preservado. É uma liberdade pública que tem que ser garantida pelo Estado e a Secretaria de Segurança Pública, através das suas agências, da Polícia Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Detran e Politec garantirão o direito constitucional à manifestação”, reforçou.

Minutos após à coletiva de Taques, a imprensa nacional e local começou a divulgar sobre o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula, que foi feito pelo Ministério Público de São Paulo, apontando irregularidades na compra do tríplex à beira mar em Guarujá, no litoral paulista. O fato deve “inflamar” ainda mais as manifestações de domingo.

Fonte : Reporte MT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *