O VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) de Cuiabá e Várzea Grande voltou a ser destaque em rede nacional. A reportagem principal do Fantástico deste domingo (7) mostrou várias obras de mobilidade urbana da Copa do Mundo de 2014 que ainda não foram concluídas.

Além do “trem cuiabano”, outras capitais sofrem com a não conclusão e abandono das obras. Cidades como Recife, São Paulo, Fortaleza também foram destaque na reportagem.

Ao destacar que a obra de Cuiabá já consumiu R$ 1 bilhão dos cofres públicos, o Fantástico destacou que a construção do VLT é alvo de uma CPI na Assembleia Legislativa. Além disso, cita que o ex-governador Silval Barbosa, preso há seis meses por desvios de recursos públicos, também é réu num inquérito que apura indícios de desvios na obra.

Ao Fantástico, a defesa de Silval encaminhou uma nota afirmando que a gestão do peemedebista foi responsável por realizar várias obras urbanísticas visando o Mundial. Garantiu ainda que a grande maioria delas foi concluída e está sendo utilizada pela população.

Em relação ao VLT, o ex-governador colocou que foram enfrentados problemas nas desapropriações e também por conta de decisões judiciais. Mesmo assim, destaca que foram entregues trincheiras e viadutos que estavam no projeto da obra.

Silval ainda aproveitou para “alfinetar” a gestão do governador Pedro Taques (PSDB) que, segundo ele, foi o responsável por paralisar o andamento dos trabalhos. “Importante frisar que o consórcio responsável pela obra trabalhou até o dia 30 de dezembro, sendo a obra paralisada pelo atual governo”, assinala.

Em relação a ação que responde por suposto desvio de recursos, ele aponta que está tranquilo. “O governador Silval Barbosa está a disposição das autoridades judiciárias para esclarecer todos os pontos que envolveram as obras da Copa”

Sobre a perspectiva de retomada das obras, o Fantástico ouviu o secretário de Cidades, Eduardo Chileto. Ele destacou que a atual gestão contratou serviços de consultoria da empresa KMPG para avaliar se vale a pena concluir os serviços. O relatório será entregue ainda este mês. “Se mostrar totalmente viável, a obra será sim retomada”, disse o secretário.

Numa análise geral de todas as obras da Copa que ainda não foram concluídas, mesmo após 2 anos do evento, o secretário executivo da Controladoria Geral da União (CGU), Carlos Higino Alencar, criticou a falta de planejamento dos gestores para a execução de um volume muito grande de dinheiro. “A falta de planejamento faz com que a gente tenha não só obras paradas, mas o desperdício de equipamentos  que podem se estragar pela sua não utilização”, frisa.

notasilval.jpg
Fonte : Folha MAX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *