Sobrevivente de um acidente com um avião monomotor em Colíder, a 648 km de Cuiabá, Tonijeu de Oliveira Araujo declarou nesta segunda-feira (7) que conseguiu escapar da morte por um triz. O funcionário de uma revenda de máquinas agrícolas manobrava um trator no final da tarde de sexta-feira (4) quando viu uma aeronave caindo em sua direção. Para se proteger, ele se jogou do trator momentos antes da colisão. “Escapei por um segundo da morte”, relatou Tonijeu, por telefone, em entrevista ao G1 nesta segunda-feira.

Além dele, outras duas pessoas se envolveram no acidente: o único passageiro da aeronave, de 36 anos, morreu na hora; já o piloto, de 53 anos, acabou sendo resgatado com ferimentos ao lado de Tonijeu pelo Corpo de Bombeiros, que os encaminhou para o Hospital Regional de Colíder.

A aeronave pertencia ao piloto e acabou caindo entre o trator conduzido por Tonijeu e um outro, também da loja de revenda de máquinas agrícolas onde ele trabalha. Ele disse ao G1 que estava recolhendo as últimas máquinas pesadas no pátio da revendedora quando escutou um barulho de avião mais alto do que o normal. No momento em que se virou para ver o que era, assistiu à colisão do monomotor contra os fios da rede de energia do local e depois em um poste.

“No momento em que o avião bateu no poste, pensei que alguns destroços podiam cair sobre mim. Então, me joguei do trator. Para minha surpresa, o avião não foi contido pelo poste, e avançou sobre o trator em que eu estava. Escapei por um segundo da morte”, disse Tonijeu.

Funcionário de loja manobrava um dos tratores no momento da queda do avião (Foto: Nortão Online)Funcionário de loja manobrava um dos tratores no momento da queda do avião (Foto: Nortão Online)

Em seguida, ele ainda andou alguns passos para deixar o local do acidente, mas passou mal e caiu. Ele afirmou que temia que o avião explodisse ou que ele se machucasse ainda mais nos destroços. Tonijeu ainda deve permanecer internado, sem previsão de quando poderá ir para casa, pois ainda sente muita dor nas costas e não consegue mexer a perna direita.

De acordo com a Polícia Civil, o piloto da aeronave não detém licença da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para voar e a aeronave estava operando em caráter experimental. Uma equipe da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) já esteve no local do acidente, bem como uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) para investigar as causas do acidente.

Fonte : G1 MT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *