Ex-governador Silval Barbosa (sem partido) confirmou que vai comparecer à oitiva da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura a suposta quebra de decoro e obstrução da Justiça por parte do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), citado em delação por supostamente ter recebido propina.

 

O ex-governador foi convocado pela comissão para prestar depoimento no dia 23 de fevereiro na Câmara de Cuiabá. Ele deverá esclarecer o vídeo em que Pinheiro aparece enchendo os bolsos do paletó com maços de dinheiro, recebido no gabinete do Palácio Paiaguás, quando ainda era deputado estadual.

Segundo Silval, haverá um momento em que ele trará ao conhecimento da população tudo o que ainda não falou em razão do sigilo imposto às investigações. No entanto, já afirmou que apesar de impedido de falar sobre sua delação, ele vai comparecer à CPI e irá responder aos questionamentos dos vereadores de Cuiabá sobre o assunto.

“Do mesmo jeito que comecei, eu estou contribuindo com a Justiça e colaborando para que, de fato, esclareça todas as irregularidades que houve no Governo, infelizmente. (…) Vou contribuir em todas as instâncias. É minha obrigação. Com certeza eu vou na CPI. É uma convocação da Câmara, uma casa administrativa,  e eu tenho obrigação de colaborar em todas as dúvidas que os parlamentares tenham. Com certeza, eu estarei lá.”, afirmou ao chegar para o segundo dia de depoimento às auditoras da Controladoria Geral do Estado.

Já em relação à tentativa do prefeito em anular o acordo de colaboração premiada, firmado entre Silval e o Ministério Público Federal (MPF), o ex-governador disse que é uma estratégia de defesa e que ele respeita. “Todo mundo tem o direito de defesa. Se ele achou que aquilo é uma estratégia para se defender, é um direito da assessoria jurídica dele”, resumiu.

Além do ex-governador, também serão ouvidos na CPI do Paletó o servidor Valdecir Cardoso de Almeida, responsável por instalar a câmera usada para gravar o prefeito Emanuel Pinheiro recebendo maços de dinheiro. Ele será o primeiro a ser ouvido no dia 7 de fevereiro.

No dia 16 de fevereiro será a vez do ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Silvio César Corrêa. Em seguida, no dia 21, será ouvido o ex-secretário Allan Zanata, uma vez que ele foi o responsável por gravar um áudio junto a Silvio Corrêa, encontrado pela Polícia Federal na casa de Emanuel Pinheiro durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão da Operação Malebolge. (Colaborou Karine Miranda)

Veja o vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *