No dia 2 de agosto, já com 72 dias preso no Centro de Custódia da Capital (CCC), o cabo da Polícia Militar Gerson Luiz Ferreira Corrêa Júnior escreveu uma carta para o coronel PM Evandro Alexandre Ferraz Lesco, que também estava preso à época na Academia da Polícia Militar Costa Verde.

Na carta, o cabo se dirigia ao coronel como “irmão” e falava sobre a pressão da mídia sobre o caso no qual são acusados de compor uma organização criminosa, afirmando que iriam reverter a situação e trabalhar para evitar que outros membros do grupo fossem atingidos. O registro acabou sendo apreendido pela Polícia Civil na operação Esdras, relativa ao escândalo dos grampos telefônicos ilegais.

 

Para o desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) Orlando Perri, relator dos inquéritos que apuram as denúncias, o documento encontrado com a personal trainer Helen Christy Carvalho Dias Lesco, esposa do coronel, mostra a “fortíssima ligação” entre ambos e também que Gerson é um dos mais ativos no esquema. “(…) verifica-se toda lealdade – e porque não dizer, a irmandade – do Cb. PM Gerson para com o Cel. PM Lesco, demonstrando a forte ligação da organização criminosa formada, que o trata, inclusive, como “irmão”, destacou Perri.

Na mensagem, o policial afirmou que não iria “esmorecer um segundo sequer” pois confiava plenamente em seu advogado Marciano Xavier (que também era advogado do casal Lesco, mas acabou deixando o caso por também ter sido citado na representação da delegada Ana Cristina Feldner), e que o grupo deveria permanecer sempre alinhados. “(…) não abro mão da nossa irmandade, fidelidade e lealdade, custe o que custar”, registrou o cabo.

Corrêa ainda brincou com a situação, afirmando que estava “muito tranquilo, muito seguro” e que ainda iria, juntamente com seus supostos comparsas na arapongagem, virar o jogo, “vamos dar muitas risadas, tomar muito chop, eu creio”, planejou.

Ao final da carta, o cabo se dirige novamente ao superior como “irmão” e, inclusive, dizendo que o amava e tranquilizando-o dizendo que estava bem na cadeia. “Amo você meu irmão, estou bem”.

Atualmente, Lesco e Corrêa respondem a um segundo decreto de prisão preventiva cada um, dessa vez, pela acusação de obstrução de justiça. No caso do coronel, a denúncia foi pela cooptação do tenente-coronel PM José Henrique Costa Soares, escrivão do inquérito policial militar, que deveria gravar o desembargador Perri em qualquer situação que pudesse levar à sua suspeição.

Já o cabo foi denunciado pelo fato de supostamente estar escondendo os aparelhos utilizados para fazer as escutas clandestinas de pessoas que representavam oposição ao governo, como a deputada Janaina Riva (PMDB) ou outras cujos interesses remontam a interesses particulares, como a ex-amante do ex-chefe da casa Civil Paulo Taques.

Leia o trecho disponibilizado da carta:

“[…] Irmão, quanto à pressão da mídia, notadamente, TVCA (Globo/MT), todos os dias ‘batem’, porém, estamos cientes de que nada será além disso, ‘pressões midiáticas’, vamos bancar com muita serenidade, sem apavorar. Os fatos que ora a TVCA noticiam, com supedâneo na decisão do Dr. Perri, não prosperam e iremos reverter isso. Acredito que a revogação da sua PP irá ocorrer e depois vamos trabalhar para que ocorra dos demais irmãos. A minha bancarei o tempo que for sem esmorecer um segundo sequer. Confio plenamente na atuação do Dr. Marciano e demais profissionais envolvidos, mas continuemos sempre alinhados, não abro mão da nossa irmandade, fidelidade e lealdade, custe o que custar.

Ademais, não preocupe comigo, essa aqui vamos bancar com muita naturalidade e foco nos princípios, teses e convicções. Estou muito tranquilo, muito seguro que vamos virar esse jogo, e vamos dar muitas risadas, tomar muito chopp, eu creio.

[…]

Irmão fico por aqui, na certeza de saber que está bem e já lhe informando que estou melhor ainda, certeza. A cada dia que passa fico mais firme, ‘tô’ mais forte e mais convicto. Um grande abraço, fique com Deus, muita força por aí. Amo você meu irmão, estou bem.

CCC, Cuiabá, 02/08/2017.

Gerson Luiz Ferreira Correa Júnior”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *