A Prefeitura de Cuiabá rescindiu o contrato firmado com a empresa Pavipar Construções, que era responsável pelas obras de revitalização da Praça Alencastro, no Centro da capital, alegando inconsistência no projeto da reforma e falta de entendimento com a construtora. As obras, que tiveram início em março deste ano, ficaram paradas por quase um mês.

A praça, localizada em frente à sede da prefeitura, foi cercada por tapumes em março, para que as obras tivessem início. A previsão era de que a obra seria entregue cerca de três meses após ser iniciada, mas, diante da rescisão do contrato, a conclusão deve ocorrer apenas no final de setembro, segundo o secretário municipal de Serviços Urbanos, José Roberto Stopa. A obra foi retomada na terça-feira (11).

“A empresa concordou com a rescisão porque não havia um entendimento sobre como dar continuidade à obra”, disse.

Quando a obra foi lançada, o município alegou que a revitalização era necessária porque a estrutura do local era antiga e a falta de reparos representavam perigo aos frequentadores, com uma fonte abandonada e árvores quase caindo devido à infestação de cupins.

A obra tinha custo previsto de R$ 500 mil. A previsão é de que, entre os trabalhos executados no local, seja feita a troca de piso e fiação elétrica, recuperação do coreto, revitalização da fonte, obras de acessibilidade e plantio de novas árvores.

Segundo Stopa, o valor da eforma deve diminuir consideravelmente, pois agora a obra será executada por funcionários da prefeitura, após uma parceria firmada com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano.

“O custo deve diminuir agora porque estamos fazendo grande parte disso com mão de obra própria. Não consigo precisar essas valores, porque estamos fazendo correções de projeto e estamos executando a obra em parceria, fazendo o que é básico”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *