Ônibus da Grande Cuiabá não circulam em protesto contra a reforma do Governo Federal (Foto: Reprodução/TVCA)Ônibus da Grande Cuiabá não circulam em protesto contra a reforma do Governo Federal (Foto: Reprodução/TVCA)

Ônibus da Grande Cuiabá não circulam em protesto contra a reforma do Governo Federal (Foto: Reprodução/TVCA)

Os profissionais que atuam no transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, não estão trabalhando nesta sexta-feira (28). O ato integra a paralisação geral, que ocorre em outras regiões do Brasil contra as reformas trabalhistas, previdenciárias e de terceirização, propostas pelo Governo Federal.

Sem ônibus em circulação, terminais amanheceram vazios na Grande Cuiabá (Foto: Marcelo Martins/TVCA)

Sem ônibus em circulação, terminais amanheceram vazios na Grande Cuiabá (Foto: Marcelo Martins/TVCA)

Segundo o Sindicato dos Motoristas, Profissionais e Trabalhadores em Empresas de Transportes Terrestres de Cuiabá e Região, 2,5 mil motoristas e funcionários das quatro empresas, incluindo o transporte da frota municipal e intermunicipal, que prestam o serviço devem aderir à paralisação.

Aproximadamente 345 mil pessoas utilizam o transporte público em Cuiabá e Várzea Grande.

Rodovias
De acordo com a Concessionária Rota do Oeste, um grupo do Sindicado dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) faz uma manifestação no km 686 da BR-163 em Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá. Eles bloquearam os dois trechos da rodovia desde as 7h30 [horário de Mato Grosso]. Não há informações de liberação da pista. Os manifestantes permitem a passagem de ambulâncias.

Educação
Professores da rede estadual e municipal também participam da paralisação desta sexta-feira. Segundo o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), os profissionais devem participar de um protesto no período da tarde, em Cuiabá.

São aproximadamente 80 mil profissionais, tanto na rede estadual quanto municipal. Mato Grosso tem quase 700 mil alunos, sendo 450 mil estudantes na rede estadual e 40 mil profissionais na rede estudual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *