O ex-BBB Marcos Harter foi à DEAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), em Jacarepaguá, no Rio, nesta quarta-feira, 12, prestar depoimento sobre o caso de suspeita de agressão a Emilly Araújo – com quem viveu um relacionamento durante o “BBB 17”. A responsável pelo caso do médico – que foi intimado  a depor nesta terça, 11 -, é a delegada-titular Viviane Costa Ferreira. Marcos chegou pontualmente às 11h em uma van com três seguranças. Sua irmã, Caroline, chegou minutos antes e entrou acompanhada de uma mulher. Marcos não falou com a imprensa e entrou direto na delegacia.

Entenda o caso

Na segunda-feira,11, a diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher do Rio, Marcia Noeli, determinou a investigação do caso de agressão e Marcos foi expulso do programa no mesmo dia. O anúncio foi feito pelo apresentador Tiago Leifert, que justificou a decisão pelos indícios de agressão a Emilly. Ele também vinha apresentando comportamento agressivo com outros participantes nas últimas semanas. Em uma briga que aconteceu na madrugada de domingo, Marcos chegou a encurralar Emilly em um canto, colocou o dedo na cara na estudante e a segurou com força. A estudante reclamou de dor no pulso.

Após deixar a casa, o médico escreveu um texto para se defender das acusações de agressão e pedir desculpas. Na publicação feita no Instagram na início da manhã de terça-feira, 11, ele diz que não teve intenção de machucar sua namorada.

“Como todo casal passamos por momentos de alegria, ansiedade, euforia e tensão. Jamais tive a inteção de machucar física ou emocionalmente uma pessoa pela qual nutri tanto carinho e afeto. O programa tem um formato destinado a levar nosso emocional ao limite e consequentemente os nervos à flor da pele. Repito: Jamais tive a intenção de machucá-la ou agredí-la, estou surpreso com tudo que está acontecendo. Peço desculpas a todos os envolvidos, Emilly, sua família, demais participantes e a todo o Brasil”, escreveu Marcos.

A expulsão

Tiago Leifert fez o anúncio da expulsão de Marcos Harter logo no início do programa que foi ao ar na noite de segunda-feira, 10. “A gente recebeu a delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher, que nos solicitou as imagens das discussões entre o Marcos e a Emilly. A delegada instaurou o inquérito para apurar uma possível agressão física. Com base nesse inquérito, tivemos uma nova conversa profunda com a Emilly, inclusive com exame médico”, disse o apresentador.

Leifert continuou: “Desde o primeiro momento, desde que tudo aconteceu, a Globo agiu firmemente, incansavelmente. A gente envolveu advogados, especialistas, psicólogos, conversamos muito para tomar a decisão correta, a decisão justa. Na conversa de hoje, ficaram comprovados indícios de agressão física. No ‘BBB’, agressão gera expulsão, e decisão foi tomada. O Marcos está eliminado do ‘BBB 17’. Com isso, a nossa vida aqui tem que continuar. A gente vai declarar Ieda, Emilly e Vivan finalistas do programa daqui a pouco.”

Leia também: ‘Ex-BBB Rômulo comenta expulsão de Marcos: ‘A vida cobra. Mas a justiça vai cobrar antes’

Violência psicológica

Também na segunda-feira, 10, Márcia Noeli Barreto, diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher, conversou com o EGO sobre o caso: “Em um primeiro momento, vi os vídeos que foram exibidos também no programa de domingo, 9. Notei que há violência psicológica do Marcos contra a Emilly. Ele a ameaça, constrange, coloca a vítima na parede, diz que a participante é culpada de tudo. Isso é um quadro de violência psicológica claramente. Porém, quando se trata dessas ações, só podemos fazer alguma coisa diante da acusação da vítima. Ela precisa dar queixa para que a delegacia possa fazer algo no caso de violência psicológica.”

Márcia Noeli Barreto afirmou também: “Conversei com a Dra Viviane, delegada da DEAM de Jacarepaguá, e vimos os vídeos novamente. Notamos que ela reclama dos braços machucados, e que realmente ela está com eles machucados, por conta dos apertos do Marcos. Aí, neste caso de violência física, não depende mais da vítima. Pedi para a Dra. Viviane instaurar inquérito e ela instaurou. Estamos verificando a verdade disso tudo. A Dra. Viviane está nos Estúdios Globo nesta tarde de segunda-feira, 10, para pegar depoimentos da Emilly e do Marcos. Com estes depoimentos vamos fazer um laudo.”

A diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher ainda disse: “Caso seja comprovada a violência, vamos fazer uma medida protetiva de afastamento do Marcos do local. Vamos encaminhar as provas para juiz e a pena pode ser de 1 a 3 anos de prisão. Mesmo que a Emilly se recuse a dar queixa, podemos dar sequência ao inquérito, porque teremos provas. Não recebemos nenhuma denúncia ou pedido de fãs da Emilly para tomar essa iniciativa. Mas é claro que verificamos o que estão falando nas redes sociais e levando tudo em consideração.”

Ainda na segunda-feira, 10, antes do programa ao vivo, a comunicação da TV Globo se posicionou sobre o caso: “A delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá, Viviane da Costa, esteve nos Estúdios Globo para pedir as imagens das discussões entre Marcos e Emily. Foi instaurado inquérito. A delegada concordou com as seguintes medidas: submeter Emily a um exame clínico, por um médico da Globo, para avaliar a possibilidade de lesão corporal, e chamá-la novamente ao confessionário, a fim de que fiquem claros seus direitos, garantidos pela Lei Maria da Penha, inclusive o de ficar distante de Marcos, se assim o desejar. A partir dos resultados, a Globo anunciará o que fará na edição de hoje (segunda-feira, 10) do programa. Mais uma vez a Globo reafirma seu repúdio a toda e qualquer forma de violência, tendo evidenciado isso em todas as suas atitudes. Conforme esclarecemos no ar na edição de ontem (domingo, 9) do ‘BBB’ discussões como a que houve entre Marcos e Emily na madrugada de domingo podem levar a agressões físicas, o que não é admissível. Nem no programa nem fora dele. Pelas regras do ‘BBB’, inclusive, agressões físicas são punidas com expulsão imediata. Por isso, chamamos Marcos e Emily separadamente ao confessionário no domingo. Marcos foi repreendido e alertado sobre seu comportamento e a Emily foi reforçado todo apoio. Na ocasião, ela não denunciou nenhuma agressão física.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *