Nesta segunda-feira (30) amanheceu mais triste para parentes e amigos, que estão se despedindo do radialista Wiliam Gomes.

 

Um dos ícones da velha guarda da rádio em Mato Grosso, o locutor e professor universitário faleceu aos 66 anos neste domingo (29) de insuficiência respiratória, complicações da diabetes.

Na capela Jardins, onde está ocorrendo o velório, o locutor Carlos Roberto Cardoso, o “Mortadela”, 63, lamentou a perda do amigo. “Um sujeito sempre de bom humor, brincalhão e que vai deixar saudades”.
Mortaleda lembra uma frase que ele sempre gostava de dizer: “São coisas que acontecem na vida mas não deveriam acontecer”. Para Mortadela, a frase se aplica bem a este momento de luto.

 

Outro parceiro de locução na década de 70 – era forte do rádio – compareceu ao velório. O conhecido e polêmico Lara. Vestido de farda, como é de costume, também lamentou a perda humana.

 

O jornalista Américo Corrêa, secretário de Comunicação do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), ressaltou que não perdeu apenas o amigo, mas o primo querido e padrinho.

“Ele me deu o primeiro emprego”, lembra Américo. “Wiliam Gomes era um apaixonado pelo futebol, um culto, professor, de temperamento dócil, simpático, gostava de contar histórias e era muito meu amigo”.

O corpo de Wiliam Gomes será velado até as 13 horas desta segunda-feira, quando sairá o cortejo fúnebre rumo ao Cemitério da Piedade, para o sepultamento em jazigo familiar.

 

fonte ; gd

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *