A movimentação pequena nas lojas da região central de Cuiabá na semana do natal fez com que os comerciantes não cumprissem o horário estendido para o período, que seria até das 22 horas. As portas estão sendo fechadas por volta das 20h30.

Divulgação Internet

Lojas do Centro de Cuiabá estão com baixo movimento na semana do Natal

O supervisor de vendas de uma rede de lojas de confecções, Osvaldo Matos, informou que está surpreendente a baixa procura dos consumidores nesta época do ano. A expectativa era de aumento nas vendas, já que dezembro é o mês de maior lucro para o comércio. Por isto, segundo ele, não está compensando manter a loja aberta até às 22 horas.

Matos observa ainda que as compras estão sendo pontuais com valor médio de 30% menor comparado ao mesmo período de 2015. “Mas mantemos uma visão otimista e acreditamos que muita gente vai deixar para última hora. Esperamos que até sábado as vendas melhorem”, destacou.

O vice-presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), Célio Fernandes, observa que as notícias ruins do cenário político do país influenciaram no consumo. Destaca que a projeção para esta época do ano não é boa, as vendas feitas pelo crediário devem diminuir cerca de 15% comparado a dezembro passado. “Quase 50% da população está endividada e não pretende fazer novas compras, a intenção é pagar dívidas”.

Os setores que mais estão sentindo o impacto da recessão na economia são as lojas de confecção, calçados, tecnologia, telefonia, hotelaria, bares e restaurantes.

Já a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso (Fecomércio-MT) está mais otimista com o comércio no natal. No dia 15 de dezembro foi divulgada a pesquisa de intenção de Consumo das Famílias (ICF) para este mês que aponta aumento de 3,7% na intenção de compras das famílias cuiabanas em relação ao mês de novembro, chegando a 79,4 pontos em dezembro, contra 76,5 pontos em novembro.

O índice na Capital está acima da média nacional, que atingiu no mês 76,2 pontos e que também apresentou variação positiva de 2,6% em relação ao mês passado. Entretanto, os índices, tanto em Cuiabá, quanto no país, ainda se encontram abaixo de 100 pontos, margem que demarca a fronteira entre a avaliação de insatisfação e de satisfação do consumidor.

O indicador possui uma escala entre zero e 200 pontos, sendo que abaixo de 100 pontos releva baixa perspectiva de consumo das famílias.

Para o superintendente da Fecomércio-MT, Evaldo Silva, as vendas de Natal deverão retrair 3,5% na comparação com 2015. “Vários fatores influenciaram essa queda nas vendas como o período de instabilidade política no Estado com a iminência da votação de uma reforma tributária, o que gera preocupação entre os empresários e comerciantes.

Segundo o superintendente, o aumento do custo de produção e a inflação também interferem. Ainda assim, a perspectiva para Mato Grosso está abaixo da média nacional. Se não é motivo de comemoração, pelo menos representa um cenário menos pessimista.

Divulgação Internet

As lojas de utilidades domésticas e aviamentos tem bons resultados nas vendas

Lado positivo
Apesar deste cenário desfavorável e de instabilidade, existem áreas que conseguiram bons resultados. O vice-presidente da CDL destacou que os setores de aviamentos e utilidades domésticas conquistaram boas vendas.

O motivo deste bom desempenho está relacionado ao empreendedorismo. Muitas pessoas perderam o emprego nos últimos meses e decidiram fazer artesanato ou comidas para vender como forma de obter renda.

As lojas de jardinagem e de materiais de construção civil também estão comemorando as vendas de fim de ano. A procura aumentou em dezembro, tem muitos consumidores que querem deixar as residências bonitas neste fim de ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *