O secretário adjunto da Secretaria de Ordem Pública, Major Noelson Carlos Silva Dias, informou que foi prorrogado o prazo para a retirada dos ambulantes, que será dia 28 de dezembro, ou seja, os vendedores só poderão trabalhar no Centro Histórico da capital até o dia 27.

A prorrogação da data foi um pedido dos ambulantes que alegaram que muitos vendedores que estão frequentando atualmente as praças neste período de fim de ano são de outros estados e até mesmo estrangeiros.

O grupo também argumentou dizendo que o natal é a época em que mais se fatura. Muitos pais de família trabalham nestes locais e conseguem um boa renda em dezembro. Por uma questão social, a prefeitura decidiu atender a solicitação dos camelôs, destacou o Major.

Depois desta data, os ambulantes serão retirados e quem desobedecer à ordem judicial poderá ser preso e as mercadorias serão apreendidas, ressaltou o secretário.

Também ficou acordado na reunião que os ambulantes deverão sair das calçadas das lojas do centro para que não haja prejuízo aos lojistas.

Os vendedores serão encaminhados para o Centro Comercial Popular de Cuiabá (CCPC), que fica na região do Porto e  foi construído em 2011 pelo governo municipal para realocar aos ambulantes.

Na reunião, o grupo reclamou ainda que a estrutura do CCPC está ruim, quando chove molha e só apenas uma linha de ônibus que passa próximo ao local, o que prejudica as vendas.

Os ambulantes apresentaram uma proposta para que a prefeitura construísse um espaço como se fosse um camelódromo para que todos pudessem trabalhar juntos.

O secretário relatou que ficou acertado que a gestão atual da prefeitura irá se reunir com os novos secretários municipais para repassar a situação e definir o que poderá ser feito para melhorar o trabalho dos ambulantes de Cuiabá para 2017.

O secretário de trabalho e desenvolvimento econômico, Alex Silva, que também participou do encontro, comunicou que o trabalho dos vendedores será formalizado através do cadastro como Microempreendedor Individual (MEI), ainda este ano. Desta forma será possivel criar um espaço que atenda ao pedido dos ambulantes.

Já  a secretaria de obras da capital informou que existem pelo menos seis linhas de ônibus que fazem o trajeto perto do CCPC, mas que fará fiscalização para identificar se há falhas no trajeto dos ônibus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *