Em reunião nesta terça-feira em Brasília, o governador Pedro Taques (PSDB) recebeu a garantia do presidente Michel Temer de que o FEX (Fundo de Apoio a Exportação) será pago em duas parcelas até o final do ano. A primeira, em novembro deste ano, e a segunda, em dezembro.

O anúncio foi feito pelo presidente eleitora da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB). “O governador voltou ontem a noite de Brasília com esta boa notícia para o Estado”, declarou o parlamentar em entrevista a Rádio CBN Cuiabá (AM 590).

Botelho afirmou que o pagamento do FEX será importante para o Estado fechar o ano com as contas saneadas. “Vamos aprovar o Refis agora e com o FEX vamos entrar 2017 com boas perspectivas”, assinalou.

Sobre a possibilidade do governo declarar estado de calamidade pública, assim como outros 14 Estados das regiões Nordeste e Centro-Oeste, o futuro presidente da Assembleia considera que a hipótese está descartada com anúncio do pagamento do FEX. “Acredito que era uma condicionante de que se o FEX não fosse pago isso iria ocorrer. Então, vejo que foi uma pressãozinha que funcionou”, destacou.

Ontem, o governador Pedro Taques e um grupo de governadores estiveram em Brasília em reuniões com a nova presidente do STF, ministra Carmem Lúcia, e também com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Na reunião, foram elencadas as dificuldades financeiras dos Estados, principalmente os fora do eixo Sul e Sudeste.

Taques colocou a importância do FEX ser pago ao Estado. Mato Grosso, por ser o maior exportador brasileiro, tem direito à maior fatia do FEX, previsto em R$ 450 milhões. “Não estamos preocupados em fechar a conta do ano, mas as contas do mês. Já falta gasolina para as viaturas da polícia. Dinheiro para os hospitais. Em Mato Grosso já tivemos que fazer um Termo de Ajustamento de Conduta com os demais poderes por causa do duodécimo. A União nos deve e é direito dos estados em relação ao FEX. É uma situação emergencial”, disse Taques ao ministro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *